Como vender pela internet e aumentar seu faturamento

11 de Maio de 2022
como vender pela internet
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Quer saber como vender pela internet e usar as ferramentas que ela tem para aumentar o faturamento da sua empresa? Então, este conteúdo é para você. 

Vender pela internet já não é assim um assunto tão novo: no final da década de 90, o empresário americano Bill Gates, mundialmente conhecido por fundar a Microsoft, profetizou que no futuro só existiriam dois tipos de empresas: as que fazem negócios pela internet e as que estão fora do mercado. Pouco tempo depois a profecia se cumpriu e os modelos de negócios mudaram radicalmente. 

Antes éramos extremamente ligados às lojas físicas e há um tempo esse cenário se transformou. As visitas ainda acontecem, só que com uma grande ascensão das lojas virtuais, redes sociais e tantos outros canais de venda digitais. 

A pandemia de Covid-19 alavancou de vez essa mudança. Um estudo publicado em 2021, apontou que o setor de vendas on-line cresceu nada mais nada menos que 26,9% em relação ao ano anterior – faturando mais de R$ 161 bilhões. 

Apesar da internet e, mais especificamente, o e-commerce serem comuns na nossa rotina hoje em dia, quem tem o seu próprio negócio pode muitas vezes ter dúvidas de como fazer uma gestão eficiente do seu canal de vendas. 

Então, nós aqui na Cora juntamos algumas dicas que podem fazer a diferença pra você que pensa ou já está colocando seu negócio pra vender na “Grande Rede”. Vem conferir: 

Quais as vantagens de se ter um negócio online?

Vender na internet pode ser uma excelente opção para todo mundo que tem o seu próprio negócio. As vantagens são várias:

  • Disponibilidade de horários: uma loja virtual nunca fecha;
  • Facilidade para começar;
  • Baixo Capital Inicial
  • Atinge um público maior;
  • Ampla divulgação do modelo de negócio ou serviço;
  • Estratégias de marketing diversificadas. 

Como vender pela internet: 8 passos básicos

Montar o seu e-commerce depende de um modelo de negócio bem elaborado. Este planejamento vai depender de alguns fatores: 

  • O público-alvo que você deseja atingir;
  • A plataforma de vendas (marketplace) que você irá usar;
  • A estratégia de marketing que você vai empregar;
  • A logística de entrega.

1. Público-Alvo: seu negócio alcançando as pessoas certas

Na hora de definir qual produto ou serviço será vendido na internet, muita gente acaba esquecendo de um detalhe fundamental: a escolha do público-alvo. 

Vale a pena refletir: qual o nicho de mercado você quer entrar? Qual público você quer atingir com a sua estratégia? Pesquise, busque conhecer os hábitos de consumo e de vida do público que você deseja se aproximar, busque entender como eles se relacionariam com aquilo que você tem pra vender.

2. Seu negócio para o público certo, na plataforma certa

Depois de definido o seu público, é hora de escolher a plataforma onde você vai colocar o seu negócio na “vitrine virtual”.

Muitas empresas permitem que você disponibilize seus produtos ou serviços em suas lojas virtuais e cobram uma porcentagem por esse serviço. São os famosos Marketplaces. Podemos citar como exemplo Mercado Live, Magazine Luiza, Netshoes, entre outros. 

Essas plataformas são grandes lojas virtuais que, ao invés de simplesmente venderem tudo por conta própria, fecham parcerias com gente que empreende, como você, para comercializar o seu produto por lá. 

Nesses “shopping centers da internet”, você fecha a parceria com a empresa dona daquele espaço. Ela irá expor seus produtos e, a cada venda, uma porcentagem será paga a ele. 

Há ainda a opção de você ter sua própria loja virtual, e ter mais autonomia para o seu faturamento. Neste caso a operação ficará um pouco mais complexa: você precisará montar um site em formato de e-commerce, comprar um domínio e fazer o gerenciamento da sua loja (e das estratégias de marketing) por conta própria.  

3. Marketing: fundamental para quem quer vender na internet

Todo produto para ser vendido precisa ser conhecido. E aí é que entra a sua estratégia de marketing.

Seu trabalho de divulgação irá desde uma foto bem tirada do seu produto, passado pela criação de um site, das redes sociais que você usará, dos canais de venda onde você estará e a interação do seu negócio com o seu público-alvo. 

Pensando nas redes sociais, por exemplo. Quanto mais seu público comentar e reagir às suas publicações nas redes sociais, maiores serão as chances você atingir mais visitantes no seu site. Esse trajeto “post na rede social – clique na imagem – site do seu produto”, quando feito de forma “natural” pelo seu cliente, é chamado de “tráfego orgânico”.

Quanto maior a interação, maior o acesso à sua loja. E quanto mais pessoas acessarem a sua loja virtual, mais o Google irá trabalhar para dar destaque ao seu produto – pois entende que mais pessoas estão interessadas e que por esse motivo ele deve facilitar a busca. 

4. Hora de entregar: a sua logística entrando em ação

A entrega deve ser planejada para que o produto chegue as mãos do cliente com agilidade e qualidade. O prazo para entrega deverá ser cumprido fielmente, até com antecedência da data prevista no site, se possível.

Atualmente existem diversas empresas de logística especialistas em e-commerces, além é claro do bom e velho Correios. Dependendo a quantidade de mercadorias a serem despachadas, pode-se negociar descontos.

Fidelize seu cliente: tudo deve ser bem embalado, para evitar danos. Fechou e venda e vai despachar a mercadoria? Um bilhete de agradecimento também é uma boa dica para mimar o consumidor.

5. Mantenha seus contatos atualizados

Mantenha seus canais de vendas atualizados, como endereço e números de telefone atualizados. Suas redes sociais devem estar sempre com dados corretos, pois elas são alguns dos principais canais diretos entre o cliente e a sua empresa.

6. Preze por um atendimento eficiente e rápido

No universo virtual, o atendimento tem de ser imediato. As pessoas que compram pelas lojas virtuais esperam uma resposta rápida aos seus orçamentos, dúvidas e demais itens da compra.

A atenção ao cliente é essencial, pois mesmo sendo uma loja online, a dedicação ao consumidor é semelhante a uma loja física. Cortesia e sinceridade são caraterísticas primordiais aos vendedores.

E caso haja algum problema com a venda do produto o serviço, a cordialidade e agilidade fazem toda a diferença. Resolva o mais rápido possível, empregue todas as ferramentas para reverter o impasse e deixar o cliente satisfeito. 

7. A parte chata, mas importante: legislação

Esse modelo de negócio, assim como as lojas físicas, exige uma parte burocrática, que é a legislação. As lojas online também precisam prestar contas à Receita Federal.

Muitos empreendedores optam pela abertura de um MEI (Microempreendedor Individual), que é um modelo de empresa para quem fatura até R$ 81 mil anuais e permite a contratação de um funcionário. 

Com esse modelo, você ficará livre para operar formalmente as suas vendas online. 

8. Defina o preço certo 

O preço é algo a ser bem pensado para que o empresário não caia em armadilhas e tenha prejuízos. Nesta parte é importante calcular a sua hora de trabalho, o frete, caso for por conta do emitente, gastos com os impostos e com matéria prima.  

Após os custos, basta subtrair do valor do lucro estimado e, assim, terá o preço. Consultar empresas concorrentes também é uma boa opção para saber o que o mercado está praticando, mas não pode ser a única estratégia.

Agora que você descobriu como vender na internet, bora tirar o seu planejamento do papel e colocar o seu negócio em direção às boas oportunidades. E se precisar de um parceiro nessa jornada, conte com a gente aqui na Cora, combinado?

Por Equipe Cora

Junte-se a mais de 100.000 negócios e receba conteúdos para alavancar os resultados da sua empresa direto no seu email!

A Conta PJ gratuita e sem burocracia que o seu negócio merece.

Cadastre a sua empresa em menos de 10 minutos e abra uma conta PJ totalmente sem custos. Junte-se a mais de 100.000 empreendedores, economize tempo e dinheiro e foque no que importa: no seu negócio.

5/5

“Excelente app, bem simples e entrega o que promete. Cobrança gratuita de boleto que reduziu bastante os custos na empresa” Guilherme Silva

Recebemos seus dados!

Enviamos um email de confirmação para você. Não esquece de checar a sua caixa de entrada depois! 

Se você quiser, você pode continuar a sua leitura agora.

Chegou o cartão de crédito PJ da Cora, exatamente do jeito que a gente gosta: com zero tarifas, sem burocracia e feito sob medida para o seu negócio

Título

Descrição