EmpreenderEstratégia e gestão

Plataformas de marketplace: como escolher a ideal?

By abril 13, 2020 maio 6th, 2020 No Comments
plataforma de marketplace
Se você está planejando começar a vender na internet, já deve ter ouvido falar em plataformas de marketplace, lojas online que fazem intermediação de vendas entre lojistas e consumidores. Esse modelo de negócio tem impulsionado o e-commerce em todo o mundo, aumentando a visibilidade de pequenas empresas e movimentando o comércio eletrônico. Não à toa, o setor faturou quase R$18 bilhões no último ano. Segundo a pesquisa UPS Pulse of the Online Shopper 2019, realizada pela consultoria PwC em parceria com a UPS (United Parcel Service), 95% dos consumidores brasileiros que realizam compras online optaram por um marketplace. Além disso, 44% deles afirmaram que farão mais aquisições nessas plataformas dentro de um ano. Nesse cenário, não há dúvidas de que esse tipo de plataforma se tornou uma das melhores formas de anunciar produtos e serviços pela internet. Mas, ao escolher o melhor parceiro, é necessário entender se realmente ele irá conectar o seu negócio com clientes potenciais. Pensando nisso, listamos as principais lojas online que possuem marketplaces em segmentos diversos, e você ainda irá conferir algumas dicas para fazer a melhor escolha. Leia também | Como começar a vender em marketplaces? Passo a passo

3 dicas para escolher a melhor plataforma de marketplace

Para quem pretende expor produtos e serviços em marketplaces, é essencial começar com um bom planejamento e muita informação. Isso porque, existem milhares de plataformas disponíveis, desde as mais generalistas, que comercializam produtos e serviços diversos, até as mais específicas, que atuam em nichos de mercado. Portanto, antes de fechar parceria, é preciso considerar pontos importantes como o tipo de audiência, exigências comerciais, fluxo de operação, formas de divulgação e atendimento, por exemplo. Veja algumas dicas que vão te ajudar a fazer a melhor escolha:

1. Conheça seu público

Para garantir que a plataforma escolhida faz sentido para o seu negócio, o primeiro passo é entender se o seu público costuma realizar compras neste ambiente. Para isso, vale realizar pesquisas com os seus clientes, a fim de entender melhor o seu público. Embora seja tentador expor seus produtos ou serviços em sites de grande audiência e de marcas consolidadas, de nada adianta se as pessoas interessadas no seu produto não forem impactadas.

2. Estude as características das plataformas

Também é importante lembrar que você está fazendo a escolha de um parceiro para intermediar a sua relação com o seu cliente. Dessa forma, é preciso entender a fundo, as principais características de cada um deles. Veja alguns pontos para levar em consideração:
  • Audiência: é importante levar em consideração o tráfego do site, ou seja, a média de visitas mensais, pois dessa forma são maiores suas chances de impactar mais pessoas com o seu produto ou serviço e aumentar suas vendas. Mas lembre-se de avaliar se a audiência está adequada com o público da sua empresa.
  • Estrutura: o parceiro também deve oferecer uma estrutura adequada para que você consiga vender seus produtos sem problemas. Um dos principais pontos a ser observado é a facilidade que o seu cliente tem ao navegar na plataforma, pois uma boa experiência deve ser prioridade.
  • Atendimento: outro fator importante diz respeito ao suporte oferecido pela ferramenta, em caso de imprevistos, tanto para o lojista como para o consumidor final.
  • Divulgação: uma das principais vantagens em vender por meio de marketplaces é a possibilidade de utilizar a estrutura de marketing do parceiro para a divulgação dos seus produtos e serviços. Portanto, conheça os canais em que o e-commerce realiza os anúncios e campanhas.
  • Reputação da empresa: a forma como a plataforma é vista pelos consumidores também é de extrema importância para o sucesso da parceria. Vale a pena realizar pesquisas em sites de referência, como E-bit e Reclame Aqui.
  • Comissão: boa parte dos marketplaces cobram uma porcentagem sobre as vendas. Verifique se ela é viável dentro da precificação que sua loja tem adotado.

3. Quanto mais segmentado, melhor

Como mencionamos acima, existem marketplaces que atuam com os mais variados segmentos. Durante a pesquisa, vale considerar os especializados na sua área de atuação, o que irá garantir acesso a um público mais qualificado, ou seja, com maior interesse no seu produto. Além disso, plataformas segmentadas estão mais habituadas com as demandas enfrentadas por sua empresa e adotará as medidas necessárias para resolvê-las. Com isso, você conseguirá se comunicar melhor com seu público e oferecer a ele as melhores condições de compra. Uma boa dica para fazer a melhor escolha é fazer uma lista dos marketplaces que atuam no seu segmento e comparar as características de cada um deles. Para te ajudar nessa missão, listamos as principais plataformas de marketplace para cada segmento. Veja, a seguir:

Plataformas de marketplaces por segmento

Como vimos, os melhores marketplaces nem sempre são os mais populares ou com maior número de visitas. Isso porque, para cada segmento ou modelo de empresa, pode existir um tipo de plataforma mais efetivo. Entenda qual marketplace se adequa a sua indústria!

1. Varejo

B2W: referência no e-commerce brasileiro, a B2W nasceu da união das marcas Submarino, Shoptime e Americanas e se tornou líder do segmento de varejo online na américa latina. Os sites reúnem mais de 154 milhões de visitantes únicos todos os meses. Via Varejo: é responsável por grandes portais de e-commerce no país, como: CasasBahia.com.br, Pontofrio.com, Extra.com.br. Juntos, os sites contam com mais de 59 milhões de visitantes mensais em busca de variados produtos. Amazon: considerada o maior e-commerce do mundo e pioneira no modelo de marketplace, a Amazon conta com mais de 199 milhões de visitantes únicos ao mês e atua com a venda de produtos variados. Magazine Luiza: o Magalu é um dos e-commerces mais premiados pelo modelo de gestão e atendimento. Especializada em eletrônicos e eletrodomésticos, também está projetando o setor de moda. O site conta com uma média de 44 milhões de visitas mensais. Leia também | Estratégias para seu pequeno negócio sobreviver à crise

2. Casa e Decoração

Mobly: atua no e-commerce brasileiro dentro dos segmentos de móveis, artigos de decoração e itens para a casa. O site conta com mais de 6 milhões de acessos ao mês. Madeira Madeira: especializada em móveis de madeira e artigos para a casa, o site conta com mais de 12 milhões de acessos por mês. Além disso, a plataforma oferece um atendimento exclusivo com foco em vendas, além de outras vantagens para lojistas, como API de integração e um pós-venda voltado para retenção, que conta com um baixo número de cancelamentos.

3. Moda e Acessórios

Grupo GFG: o grupo Global Fashion Group (GFG) controla os principais e-commerces voltados ao setor de moda e vestuário: Dafiti.com.br (moda), Kanui.com.br (moda esportiva) e Tricae.com.br (moda infantil). Os três sites atuam como marketplaces, permitindo a qualquer lojista anunciar nestes canais de venda. Mercado livre: mesmo não sendo um marketplace específico para a venda de roupas, sapatos e acessórios de moda, a categoria representa boa parte de suas vendas. Marcas como Hering, Levis, e Reserva anunciam no marketplace. Enjoei: é um marketplace de roupas usadas que conecta vendedores com pessoas que buscam por seus produtos.

4. Esporte e Lazer

Netshoes:  é a maior plataforma de materiais esportivos da América Latina. O site possui mais de 50 milhões de visitantes mensais e uma marca amplamente reconhecida. Centauro: A Centauro, conhecida pela rede de lojas físicas focada em esportes, também possui um marketplace. O site possui 10 milhões de acessos únicos por mês e mais de 5 milhões de seguidores nas redes sociais.

5. Ensino

Livraria Saraiva: é uma das maiores redes varejistas de educação, cultura e entretenimento do país. O e-commerce representa mais de 40% do total de vendas da empresa. O site recebe mais de 220 milhões de visitantes ao ano. Estante Virtual: e-commerce especializado na venda de livros, o Estante Virtual conta com uma audiência de mais de 3,5 milhões de visitantes ao mês.

6. Artesanato e produtos personalizados

Elo7: se a ideia é vender produtos artesanais e personalizados esse é o marketplace recomendado. O  nasceu em 2008 e, hoje, já conta com mais de 80 mil lojistas e 23 milhões de visitas mensais. O Elo7 se define como uma comunidade de empreendedores criativos. Tanlup: é um Marketplace para designers, ilustradores, estilistas, artesãos, músicos e tantos outros profissionais criativos venderem suas criações online. Não é preciso pagar nada para se cadastrar e é possível vender com um plano gratuito. No entanto, para quem deseja mais exposição e assessoria, o marketplace oferece planos de parceria. E então, o que achou da nossa seleção. Sentiu falta de algum segmento ou e-commerce? Compartilhe com a gente nos comentários. Aproveite para conhecer o Compre dos Pequenos, iniciativa criada pela Cora com o objetivo de ajudar os pequenos negócios a conseguir sobreviver em meio à pandemia do COVID-19. A plataforma possibilita a compra de um voucher no valor desejado dos estabelecimentos cadastrados no site. Depois que a crise passar, o voucher pode ser usado para comprar algum produto naquele local. Não há taxas para quem compra o voucher nem para o estabelecimento cadastrado. Cadastre agora mesmo o seu negócio.
Vanessa Ferreria

About Vanessa Ferreria

Leave a Reply