Simples Nacional: o que é, como calcular e tabela atualizada

16 de Dezembro de 2020
simples-nacional

Todo empreendedor ao começar sua empresa precisa analisar os regimes tributários disponíveis para seu tipo de atividade e escolher aquele que oferece menor custo e maior facilidade.

Apesar de existirem no Brasil apenas 3 formas – Lucro Presumido, Lucro Real e Simples Nacional – cada uma delas tem suas particularidades que são importantes de serem analisadas na hora dessa escolha.

Por isso, vamos detalhar neste post sobre o Simples Nacional , te explicar como funciona e ensinar como fazer os cálculos.

O que é o Simples Nacional?

O Simples Nacional é um regime de tributos simplificado previsto pela Lei Complementar N°123 de 14 de dezembro de 2006. Ele surgiu justamente para facilitar o pagamento de impostos para os microempreendedores e as empresas de pequeno porte.

Com o Simples Nacional os impostos da sua empresa são unificados e podem ser pagos por uma única guia – o DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional). Dessa forma, as burocracias são reduzidas e a gestão do pagamento de tributos é facilitada para o empreendedor.

Outra vantagem de optar pelo Simples Nacional é de receber vantagens em licitações públicas. Ou seja, caso você queira participar de alguma e seja optante do simples pode ter prioridade.

Quem pode aderir ao Simples Nacional?

A primeira questão a ser analisada para verificar a possibilidade de adesão ao Simples Nacional está relacionada com o faturamento anual da empresa.

Podem aderir ao regime tributário do Simples Nacional as micro e pequenas empresas que faturam até R$360 mil por ano e também as empresas de pequeno porte (EPP) com faturamento máximo de R$4,8 milhões.

Além disso, existem alguns requisitos que sua empresa deve cumprir como por exemplo não ter nenhuma pendência e obter as inscrições municipal e/ou estadual. A lista completa de requisitos você consegue verificar no portal do Simples Nacional.

Leia também | EIRELI: vantagens e o passo a passo para abrir essa modalidade de empresa

MEI e Simples Nacional: qual a diferença? 

A sigla MEI significa Microempreendedor Individual, ou seja, é uma categoria de pessoa jurídica que enquadra profissionais com faturamento anual máximo de R$ 81 mil reais. Para se tornar MEI é preciso exercer alguma das atividades permitidas e depois fazer seu cadastro gratuito no Portal do Empreendedor. 

Já o Simples Nacional é um regime tributário que alguns tipos de CNPJ podem aderir. Ou seja, é uma forma de garantir que seu CNPJ esteja regularizado com os impostos. 

Se você é MEI, pode optar pelo regime de tributação  do Simples Nacional. Neste caso, você fará parte do SIMEI que é o sistema de recolhimento de impostos em valores fixos por mês. Isso quer dizer que você possui valor dos impostos reduzidos além de ser isento de alguns tipos de tributos. 

Leia também | Como abrir um CNPJ? Saiba como formalizar o seu negócio

Como solicitar o enquadramento?

Se a sua empresa está no início da atividade, existe um prazo para optar pelo Simples Nacional de até 30 dias contados após a data de confirmação da última inscrição – municipal ou estadual no caso de empresas que possuem circulação de mercadorias e serviços. Além disso, não pode ter ultrapassado 180 dias corridos desde a data de inscrição do CNPJ.

Caso já tenha mais tempo de empresa, a inscrição no Simples Nacional deve acontecer no mês de janeiro do próximo ano.

O que é cobrado no Simples Nacional?

Os valores que devem ser pagos mensalmente são a junção de 8 diferentes impostos. São eles:

  • Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ);
  • Contribuição para o PIS/Pasep;
  • Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL);
  • Imposto Sobre Serviços (ISS);
  • Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS);
  • Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI);
  • Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS);
  • Contribuição Patronal Previdenciária (CPP).

Dessa forma, os optantes pelo Simples Nacional conseguem pagar todos esses impostos de forma simplificada e reduzida por meio do DAS.

Leia também | Tipos de CNPJ: como escolher a categoria ideal para o seu negócio

Como é feito o cálculo do imposto?

O cálculo do Simples nacional segue uma tabela de alíquotas e é feito com base no faturamento da sua empresa. Para isso, você precisa contabilizar a receita bruta que obteve nos últimos 12 meses e depois consultar na tabela a faixa em que sua empresa se encaixa

Entenda a tabela de alíquota do Simples Nacional em 2020

Para saber em qual das tabelas consultar, você precisa verificar a atividade do seu negócio no Código Nacional de Atividade Econômica – CNAE. Com essa informação e com o seu faturamento bruto dos ultimos 12 meses, é possível consultar em um dos 5 anexos qual é a alíquota certa para o tipo de atividade que você exerce.

Os anexos você pode consultar aqui:

Anexo I – Comércio

Faixas Receita Bruta – últimos 12 meses  Alíquota Valor a deduzir 
até R$ 180 mil 4%
entre R$ 180 mil e 360 mil 7,3% R$ 5.940,00
entre R$ 360 mil e 720 mil 9,5% R$ 13.860,00
entre R$ 720 mil e 1,8 milhão 10,7% R$ 22.500,00
entre R$ 1,8 milhão e 3,6 milhão 14,3% R$ 87.300,00
entre R$ 3,6 milhão e 4,8 milhão 19% R$ 378.000,00

Anexo II – Fábricas e Indústrias

Faixas Receita Bruta – últimos 12 meses  Alíquota Valor a deduzir 
até R$ 180 mil 4,5%
entre R$ 180 mil e 360 mil 7,8% R$ 5.940,00
entre R$ 360 mil e 720 mil 10% R$ 13.860,00
entre R$ 720 mil e 1,8 milhão 11,2% R$ 22.500,00
entre R$ 1,8 milhão e 3,6 milhão 14,7% R$ 85.500,00
entre R$ 3,6 milhão e 4,8 milhão 30% R$ 720.000,00

Anexo III – Empresas de Serviços 

Este anexo enquadra atividades do tipo de manutenção e reparos, serviços de instalações, agências de turismo, escolas,  escritórios de contabilidade, academias, empresas de medicina e laboratórios.

Faixas Receita Bruta – últimos 12 meses  Alíquota Valor a deduzir 
até R$ 180 mil 6%
entre R$ 180 mil e 360 mil 11,2% R$ 9.360,00
entre R$ 360 mil e 720 mil 13,5% R$ 17.640,00
entre R$ 720 mil e 1,8 milhão 16% R$ 35.640,00
entre R$ 1,8 milhão e 3,6 milhão 21% R$ 125.640,00
entre R$ 3,6 milhão e 4,8 milhão 33% R$ 648.000,00

Anexo IV – Empresas de Serviços

Os serviços que estão incluídos nesta classificação são serviços de limpeza, vigilância, escritórios de advocacia, obras e construção de imóveis.

Faixas Receita Bruta – últimos 12 meses  Alíquota Valor a deduzir 
até R$ 180 mil 4,5%
entre R$ 180 mil e 360 mil 9% R$ 8.100,00
entre R$ 360 mil e 720 mil 10,2% R$ 12.420,00
entre R$ 720 mil e 1,8 milhão 14% R$ 39.780,00
entre R$ 1,8 milhão e 3,6 milhão 22% R$ 183.780,00
entre R$ 3,6 milhão e 4,8 milhão 33% R$ 828.000,00

Anexo V – Empresas de Serviços

Por fim, os serviços aqui enquadrados são de tecnologia, auditoria, engenharia, publicidade, dentre outros.

Faixas Receita Bruta – últimos 12 meses  Alíquota Valor a deduzir 
até R$ 180 mil 15,5%
entre R$ 180 mil e 360 mil 18% R$ 4.500,00
entre R$ 360 mil e 720 mil 19,5% R$ 9.900,00
entre R$ 720 mil e 1,8 milhão 20,5% R$ 17.100,00
entre R$ 1,8 milhão e 3,6 milhão 23% R$ 62.100,00
entre R$ 3,6 milhão e 4,8 milhão 30,5% R$ 540.000,00

Outros serviços que também fazem parte dos anexos III, IV e V estão citadas no § 5o-C do art. 18 da Lei Complementar 155.

 

Como calcular o valor mensal do Simples Nacional?

Depois de consultar as tabelas e identificar a faixa em que seu negócio se enquadra, é só utilizar essa fórmula simples:

Onde:

  • RBT12 é o faturamento bruto dos últimos 12 meses
  • ALIQ é a alíquota indicada na tabela na faixa correspondente ao seu faturamento
  • PD é a parcela que será deduzida indicada também na tabela na faixa correspondente ao seu faturamento

Veja um exemplo:

1. Determinar a base do cálculo

Você deseja saber quando precisa pagar de imposto no mês de dezembro. Neste mês, o seu faturamento bruto foi de R$ 41,7 mil.

Portanto, a sua base do cálculo será de R$ 41,7 mil. 

2. Faturamento bruto dos últimos 12 meses 

Você observou que nos últimos 12 meses sua empresa teve um faturamento de R$500 mil reais.

3. Consulta da tabela correta

Agora, você identificou que segundo o CNAE de registro do seu CNPJ sua empresa é de comércio, ou seja, a tabela correta para consulta é a do Anexo I. 

4. Determinação da alíquota

Analisando o seu faturamento bruto na tabela do Anexo I, você verificou que está enquadrado na 3ª faixa, o que significa:

ALIQ – alíquota de 9,5%

PD – valor a deduzir de R$13.860,00

5. Aplicação da fórmula

Então, para chegar no seu valor final do simples nacional a ser pago em dezembro, é só usar a fórmula substituindo os termos pelos valores:

  • RBT12 x Aliq = 500.000 x 9,5% = 47.500
  • Subtração de PD (parcela a deduzir) = 47.500 – 13.860 = 33.640
  • Divisão por RBT12 (faturamento 12 meses) = 33.640 % 500.000 = 6,728%

 

Ou seja, o seu valor a pagar em dezembro será de aproximadamente 6,728% incididos sobre o seu faturamento neste mês em questão. Portanto:

Valor a pagar: 6,7% x 41.700 = R$ 2.805,58 referente ao Simples Nacional

 

Quer ver mais conteúdos para ajudar na gestão financeira da sua empresa?

Capital de Giro: aprenda o que é e como calcular.

Empréstimo empresarial: como e quando optar por um.

Formas de pagamento: como escolher as melhores opções para o seu negócio?

 

Conta PJ Cora

Por Amanda Montovani