Como fazer vendas online: tudo o que você precisa saber

4 de Abril de 2021
Como fazer vendas online: tudo o que você precisa saber

Você já pensou em fazer vendas online mas não faz ideia de por onde começar? Saiba que você não está sozinho nessa. Com o crescimento dessa modalidade de vendas, muitos empreendedores pensam em explorar o ambiente virtual, mas se sentem perdidos em meio a tanta informação.

Seja para expandir os negócios já praticados no meio físico ou para iniciar um empreendimento, saber como fazer vendas online é fundamental. Preparamos este texto com o objetivo de esclarecer alguns conceitos básicos para iniciar um negócio virtual.

5 estratégias para começar a fazer vendas online

Antes de mais nada, para começar a fazer vendas online é preciso elaborar um plano estratégico. A internet oferece inúmeras possibilidades para atrair clientes e escalar vendas, desse modo, você precisa conhecer bem a realidade do seu mercado. Antes de qualquer coisa, é importante que você defina alguns pontos centrais do seu modelo de negócio:

  • Quais são os concorrentes?
  • Quem são os seus fornecedores e perfis de clientes?
  • Que ferramentas serão necessárias para executar a operação?
  • Como se comunicar com os clientes?
  • Qual será a estratégia logística?
  • Quais são os custos de manutenção da atividade?
  • Quais são os investimentos iniciais?

 

Isso significa que começar um negócio online demanda planejamento e pesquisa, assim como em um negócio físico. As facilidades prometidas pela internet podem ser muito atraentes, mas acabam se transformando em ciladas para o empreendedor que não se prepara antes de dar o primeiro passo. Confira algumas dicas para começar a vender online:

1. Escolha um canal de vendas que funcione para o seu público

Assim como o ponto do comércio físico é importante para os negócios, o canal de vendas online também é. Antes de fazer a escolha, é preciso estudar o cliente para entender quem ele é, quais são suas preferências, seus interesses e onde é possível encontrá-lo. 

Hoje em dia, vender na internet não se resume a ter um site próprio, também é possível realizar vendas por meio das redes sociais e marketplaces  – como o Mercado Livre, Amazon e Magalu, por exemplo.  A diversidade de canais permite que o seu negócio alcance um público maior, mas você precisa saber onde está o seu público de interesse para direcionar as ofertas corretamente.

 

Leia também | Como vender nas redes sociais – o guia completo

 

2. Crie um ambiente seguro para os consumidores

A segurança é um aspecto muito importante para os consumidores da internet. Isso porque o aumento no uso dos ambientes virtuais também aumentou o número de crimes cibernéticos. Quando se trata de segurança na internet , você deve observar o tema sob duas óticas diferentes: a do seu negócio e a do cliente.

Sob a ótica do cliente, oferecer segurança significa munir o consumidor de todas as informações necessárias para que ele confie no negócio. O canal de vendas precisa ser visualmente profissional, além de conter o máximo de informações sobre o produto e a empresa.

Como o cliente não consegue ir pessoalmente verificar se a loja existe, você precisa usar todos os recursos disponíveis para assegurar a idoneidade do seu estabelecimento. Por isso, mantenha os dados do site sempre atualizados, crie perfis nas redes sociais, utilize fotos de qualidade, disponha de um sistema de atendimento ao cliente e ofereça métodos de pagamento seguros.

Se o canal de vendas permitir, vale adicionar avaliações de outros usuários para fortalecer a credibilidade da empresa. Os consumidores online se apoiam na experiência de outros clientes para tomar uma decisão em relação a compra.

Por outro lado, na percepção de segurança do seu negócio, o canal de vendas precisa  contar com serviços de proteção contra ataque e bloqueio de sensibilidades. Os dados da sua empresa e dos seus clientes precisam ser armazenados de maneira segura, especialmente porque a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) já está em vigor.

Dessa forma,  sua loja virtual precisa estar em um site ou aplicativo seguro para que as informações da empresa e dos clientes não corram risco de serem vazadas e usadas indevidamente.  

3. Organize uma estratégia de entrega eficiente

Seu negócio precisa respirar logística, especialmente porque trabalhar com transporte no Brasil é extremamente desafiador. A diversidade estrutural do país impõe a necessidade de uma organização logística flexível e ampla para conseguir atender as mais diversas localizações. 

Do lado do consumidor, a espera por receber um produto gera grandes expectativas. Se você já comprou qualquer produto na internet, sabe que a ansiedade pela entrega cresce a cada dia de processamento do pedido. 

Nesse sentido, sua operação deve ser organizada para garantir um processamento rápido, a fim de cumprir o tempo estimado de entrega. Vale dizer que o frete grátis tem grande apelo de compra para os consumidores.

Dessa forma, você pode considerar adicionar os custos de envio ao preço do produto, e não considerar uma tarifa separada. Essa estratégia oferece mais uma ferramenta de atração para o seu negócio.

Além disso, não se esqueça que o cuidado com a embalagem também é extremamente importante, já que a forma como o cliente recebe o seu produto também faz parte de uma boa experiência. Portanto, escolha um parceiro que esteja alinhado com a sua estratégia e também se proponha a oferecer uma ótima experiência ao cliente.

4.  Tenha um atendimento focado na experiência do cliente 

E por falar em experiência do cliente, para garantir altos índices de satisfação, é preciso ter uma boa comunicação.  O atendimento ao cliente não deve ser pensado apenas para resolver possíveis problemas, mas também deve ser projetado para oferecer segurança para quem está do outro lado da tela. Pense em uma estratégia de atendimento que esteja disponível ao consumidor antes, durante e após o processo de compra. 

Como já falamos, a acessibilidade no ambiente virtual é bastante diferente do varejo físico. Por isso, seus canais de atendimento devem estar em destaque no site e nos anúncios. Além disso, o atendimento deve ser descomplicado, ágil e eficiente.

Conhecer o público vai ajudar na escolha da melhor linguagem na comunicação e dos canais de atendimento mais adequados para o seu público, como WhatsApp, chat online, email, Facebook, telefone, e etc. 

5. Invista em marketing para fazer vendas online

Por último, mas não menos importante, seu plano estratégico não vai funcionar de maneira adequada se você não conseguir alcançar seu cliente. Por isso, investir em marketing digital é crucial. Conhecer o perfil da audiência vai ser importante para que a sua estratégia de anúncios seja elaborada e veiculada nos meios digitais corretos.

Hoje em dia, as redes sociais e mídias pagas, como anúncios do Google e do YouTube, permitem que as empresas levem seus produtos a um público mais amplo e bem direcionado. Lembra do antigo outdoor e dos panfletos? Eles tinham um poder de alcance muito alto, mas pouco direcionado. Os anúncios chegavam a muitas pessoas mas apenas uma pequena parte delas realmente fazia parte do público de interesse.

Com o marketing digital, as campanhas são distribuídas para um público específico e a taxa de conversão acaba sendo bem maior. Os investimentos em marketing digital podem começar de maneira mais modesta, para observar os resultados (cliques, visualizações, vendas e alcance), e escalonar conforme os números forem positivos. 

 

Leia também | 5 dicas de marketing digital para pequenas empresas

 

Um mundo mais conectado

Falar sobre a importância da conectividade em pleno 2021 pode ser como chover no molhado, especialmente depois das restrições impostas pela pandemia da COVID-19 e o “novo normal”. A realidade é que estamos online por meio de  diversos dispositivos e muitas atividades que fazíamos no ambiente físico, hoje fazemos no virtual. 

De acordo com um levantamento do Serasa Experian, divulgado em outubro do ano passado, entre março e julho de 2020, o número de brasileiros que utilizam a internet para a compra de itens domésticos saltou de 11% para 31%. Ainda segundo a pesquisa, a compra de alimentos para consumo em casa cresceu 11%, saindo da proporção de 60% dos consumidores e atingindo 71%. 

Tudo indica que essa mudança no comportamento dos consumidores tende a se transformar em um hábito cada vez mais constante. Dessa forma, é indispensável para qualquer empreendedor conhecer os mecanismos de venda online. Isso porque os novos hábitos de compra tendem a afetar o comércio físico e também abrir novas oportunidades para os negócios.

 

Gostou desse texto? Então não deixe de ler também o nosso guia completo sobre como vender nas redes sociais.

 

 

abrir conta Cora

Por Giovanna Cornelio

Cadastre-se na newsletter da Cora e receba conteúdos exclusivos para quem empreende

Ao assinar a newsletter, declaro que li e concordo com a Política de Privacidade da Cora.

Título

Descrição

Recebemos seus dados!

Enviamos um email de confirmação para você. Não esquece de checar a sua caixa de entrada depois! 

Se você quiser, você pode continuar a sua leitura agora.