Capital de giro: aprenda o que é e como calcular

30 de Abril de 2021
o que é capital de giro

Ao realizar o sonho de abrir o próprio negócio muitos empreendedores se deparam com desafios durante a jornada. E, boa parte deles diz respeito à gestão financeira do negócio.

De acordo com dados do IBGE, dois terços dos novos negócios têm sobrevida pequena e fecham suas portas em menos de cinco anos. Entre as razões estão falta de capital de giro, que é fator determinante para a sobrevivência de qualquer negócio, principalmente os de pequeno porte.

A seguir, saiba o que é capital de giro, sua importância e como calculá-lo para manter o caixa da sua empresa sempre positivo. Acompanhe.

Afinal, o que é capital de giro?

O capital de giro é o ativo circulante da empresa para arcar com os custos e despesas fixas e variáveis, ou seja, é uma parte dos recursos financeiros da empresa que é utilizada para suprir as necessidades básicas do dia a dia, sem entrar no vermelho ou ficar inadimplente.

Esse recurso é o que irá manter as contas de consumo do negócio em dia e os estoques abastecidos, além de assegurar o pagamento de fornecedores e funcionários, por exemplo.

Além disso, é o capital de giro que irá manter a empresa funcionando no intervalo de tempo entre o investimento (compras de matéria-prima/pagamento de fornecedores) e o retorno em vendas ou serviços prestados. Como o próprio nome sugere, é ele que irá fazer o negócio girar e ganhar escala.

Leia também | O que é fluxo de caixa e por que é importante para o seu negócio

Entenda como calcular o capital de giro da sua empresa

Entre as inúmeras ferramentas que um gestor precisa conhecer para assegurar a saúde financeira da empresa, talvez a mais importante seja como calcular adequadamente o capital de giro.

De acordo com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) é importante para um cálculo correto deste montante que o gestor mantenha um rigoroso controle sobre o volume de vendas estimado, de compras, custo das vendas, prazos médios de estocagem e pagamento de contas.

O capital de giro nada mais é do que o dinheiro que a sua empresa recebe menos o dinheiro que ela deve. Ou seja, é equivalente ao ativo circulante menos o passivo circulante. E é o capital de giro que faz a sua empresa continuar ativa mesmo quando ainda não recebeu dos seus clientes, por exemplo.

O ativo circulante são todos os bens da companhia que, rapidamente, podem ser convertidos em dinheiro. Exemplos: contas a receber, estoque, matéria prima, dinheiro em caixa, aplicações financeiras de curto prazo, etc.

Já o passivo circulante é todas as obrigações financeiras de curto prazo que uma empresa possui. Exemplos: salários e encargos trabalhistas, impostos e pagamentos de empréstimos ou financiamentos a instituições financeiras.

Leia também | Planejamento financeiro em períodos de crise

A fórmula para saber o valor é:
Ativo circulante – Passivo Circulante 
(Contas a Receber + Estoque) – (Contas a Pagar)

1. Calcule todos seus recebimentos e valores do estoque

Mapeie tudo que irá representar o lucro mensal do seu negócio, ou seja, os valores que irá receber de seus clientes, incluindo o material que você possui em estoque até a nova entrega pelo fornecedor. É muito importante saber qual o estoque mínimo de mercadorias serão necessárias até a próxima reposição do seu fornecedor.

2. Calcule as contas a pagar

Comece com as despesas fixas mensais do negócio, que incluem aluguel, salários, contas de consumo (água, luz, telefone) e pagamento de fornecedores, por exemplo.

Em seguida, faça uma estimativa das despesas variáveis, como custos de reposição de estoque de acordo com a demanda de vendas ou a compra de um equipamento ou ferramenta que irá otimizar o trabalho.

Agora, basta somar as despesas fixas e variáveis para saber a sua necessidade de capital de giro por mês, para ter uma média diária basta dividir o valor encontrado por 30.

3. Calcule o tempo do seu capital de giro

Além do valor necessário de capital de giro, é importante saber o período em que a empresa fica descoberta, ou seja, o prazo entre gastos e recebimento dos clientes.

  • Calcule o prazo médio das contas a pagar:  se 50% é à vista e 50% em 30 dias, a média é de 15 dias;
  • Calcule o prazo médio de recebimento dos clientes: se uma parte paga em 30 dias e outra em 60, (30 + 60 = 90), a média de recebimento é de 45 dias.

Ou seja, você tem 45 dias para receber dos seus clientes e 15 dias para pagar os fornecedores. O resultado é que há (45 – 15) 30 dias da operação a serem bancados pelo capital de giro. Logo, é imprescindível que qualquer empreendedor esteja atento a esse conceito para garantir que a empresa funcione pelo período de tempo em que os seus custos estarão descobertos.

Além disso, outro insight que podemos verificar com a análise de capital de giro é que quando o ativo circulante é menor que o passivo circulante, nesse caso, o capital de giro é negativo. Ou seja, não existe nenhuma reserva financeira para arcar com possíveis despesas e neste caso, a falência pode ser uma das consequências.

Por outro lado, nem sempre um capital de giro muito alto é indicador de que a empresa vai bem. Pode ser um indício de que seu estoque está excessivo (ou seja, as vendas não vão tão bem) ou que o capital não está sendo investido no negócio.

Dicas para ficar atento ao capital de giro:

O capital de giro é muito importante porque ele atua como um termômetro para as decisões financeiras da sua empresa. Se o seu capital de giro possui um valor muito alto, a mensagem que ele passa é: atenção para o seu volume de estoque. Agora, se ele for negativo: tenha cuidado! O seu negócio pode estar sofrendo com a inadimplência de clientes ou até mesmo com custos excessivos de fornecedores.

Pensando nisso, separamos algumas dicas para você ficar sempre ligado:

1) Reduzir custos dos fornecedores

Uma das alternativas que pequenos negócios têm de garantir o capital de giro necessário para o bom funcionamento da empresa é tentar reduzir custos dos fornecedores e isso inclui os serviços financeiros.

Não é hora de pagar mensalidades ou tarifas bancárias por serviços financeiros simples, como a emissão de boletos. Na Conta Digital Cora é possível emitir boletos de cobrança 100% gratuitos, fazer pagamentos de contas de consumo e realizar transferências (TED e PIX PJ) gratuitas e ilimitadas para qualquer banco.

3) Negocie prazos

Tanto o setor de compras como o setor de vendas da sua empresa precisa andar em sintonia financeira. Ou seja, se o seu fornecedor prefere um pagamento à vista mas oferece descontos na compra de uma maior quantidade de mercadorias, você pode utilizar da mesma estratégia com o seu cliente. Dessa forma, você não prejudica o seu capital de giro.

2) Forneça diferentes meios de pagamento

Saiba escolher o melhor meio de pagamento para o seu negócio. Se você prefere receber do seu cliente no momento da compra, o PIX chegou para ajudar o seu empreendimento e o seu fluxo de caixa. Com o PIX, o seu cliente consegue realizar o pagamento a qualquer hora do dia, qualquer dia da semana e o dinheiro é enviado em 10 segundos para a conta da sua empresa.

Esse novo meio de pagamento instantâneo chegou para revolucionar as formas de pagamento e para substituir o dinheiro físico. Afinal, é uma operação tão rápida quanto tirar o dinheiro da carteira. A diferença é que agora o seu consumidor final faz a transação usando o próprio celular.

A boa notícia é que, apesar do PIX PJ ser taxado em muitas instituições financeiras, aqui na Cora o PIX PJ é gratuito! A Cora é uma conta especializada em empresas e por aqui ajudar o seu negócio a crescer faz parte da nossa missão.

Leia mais | Entenda os motivos pelos quais a Cora não cobra taxas do PIX PJ

4) Fique de olho no volume do seu estoque

A empresa que trabalha com níveis elevados de estoques pode ter um elevado capital de giro e mesmo assim passar por dificuldades de caixa e de capacidade de pagamento se caso tiver dificuldades em vender seus produtos estocados. Portanto, tenha cuidado ao contabilizar o seu estoque e garanta um processo de vendas sustentável para suas mercadorias.

5) Atenção aos clientes inadimplentes

Clientes inadimplentes podem acabar aumentando o seu prazo de recebimento e fazer com que a sua empresa fique um período maior descoberta de capital. Sendo assim, é super importante ter uma boa gestão de cobranças e optar por serviços financeiros que garantam uma cobrança automática aos seus clientes, para evitar processos manuais e desgastes.

Aqui na Cora, além de emitir boletos gratuitos, você também consegue personalizar as cobranças dos seus clientes com juros, multas e descontos. Assim, você pode oferecer descontos aqueles clientes que pagam antecipado, por exemplo. Além disso, também oferecemos o serviço de notificação automática de cobranças, basta cadastrar o e-mail do seu cliente que a notificação é enviada 2 dias antes, no dia ou 2 dias depois do vencimento do boleto.

Se interessou pelos serviços da Cora? Aproveite para ter uma conta gratuita para o seu negócio agora mesmo!

E tem mais, separamos um material de gestão de cobranças completo e gratuito ideal para você que está organizando financeiramente o seu empreendimento.

Por Vanessa Ferreira

Cadastre-se na newsletter da Cora e receba conteúdos exclusivos para quem empreende

Ao assinar a newsletter, declaro que li e concordo com a Política de Privacidade da Cora.

Título

Descrição

Recebemos seus dados!

Enviamos um email de confirmação para você. Não esquece de checar a sua caixa de entrada depois! 

Se você quiser, você pode continuar a sua leitura agora.