Tudo o que você precisa saber sobre como vender no iFood

25 de Março de 2021
Como vender no iFood

Se no passado cada restaurante possuía um sistema próprio de entrega, hoje em dia podemos contar com a praticidade dos aplicativos de entrega, como o iFood. Realizar vendas através desse aplicativo vem se tornando cada vez mais indispensável, já que ele é uma das maiores plataformas de entrega de comida online. De acordo com o próprio iFood, trabalhar com entregas pode aumentar em até 50% o faturamento dos restaurantes.

A pandemia da COVID-19 e os protocolos de distanciamento social, fizeram da entrega a única maneira de manter os negócios funcionando, mesmo nas fases mais rigorosas dos planos de retomada da economia. Além disso, o aumento do uso de aplicativos de entrega fez crescer a confiança dos consumidores em realizar pedidos online.

Seja pela comodidade ou falta de habilidades na cozinha, “pedir comida” se tornou um hábito comum na rotina das pessoas. Pensando nisso, elaboramos este guia completo sobre como vender no iFood para te ajudar a alavancar as vendas do seu negócio.

O que preciso fazer para começar a vender no iFood? 

Se você ainda tem dúvidas sobre o que é o iFood, estamos aqui para esclarecer. Trata-se de um aplicativo que funciona como uma praça de alimentação online, ou seja, qualquer pessoa que possua um smartphone pode baixar o aplicativo e encontrar restaurantes com entrega disponível para a sua região.

Fazer pedidos “para viagem” não é novo, mas o aumento nessa dinâmica de venda fez com que empresas de tecnologia encontrassem uma solução para beneficiar estabelecimentos e consumidores. Com o uso constante da internet e do celular, passamos cada vez mais tempo nos ambientes online. Dificilmente vamos recorrer a um panfleto, por exemplo, para buscar por um número de telefone e então realizar um pedido. 

Dessa forma, o iFood reúne em um só espaço diversas opções para que o consumidor possa escolher o que deseja comer. A proposta do aplicativo é que cada negócio crie seu restaurante virtual da maneira mais atraente possível e para isso, é preciso que:

  • o estabelecimento tenha um CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas);
  • o estabelecimento possua uma conta bancária vinculada com o CNPJ da empresa ou, para o MEI, a conta pode ser vinculada ao responsável legal;
  • o administrador tenha um computador ou celular com sistema operacional Android para gerenciar os pedidos.

Leia também  | Como abrir um CNPJ? Saiba como formalizar o seu negócio

Como cadastrar a minha empresa no iFood?

Cadastrar o estabelecimento na plataforma é gratuito, basta acessar o site oficial do iFood e fornecer os dados básicos do negócio, como CNPJ, endereço e tipo de cozinha, além das informações sobre o representante legal. Após o preenchimento desses dados, o responsável deverá assinar o contrato online da parceria. A equipe do aplicativo realizará uma análise do cadastro que, se for a aprovação, possibilitará a criação do restaurante virtual dentro da plataforma.

Ainda na etapa de cadastro, o responsável pelo estabelecimento deverá escolher um dos dois planos disponíveis: o Básico ou o Entregador. Para escolher o Plano Básico, é preciso ter um sistema de entrega próprio, ou seja, o estabelecimento fica responsável por levar o produto até o consumidor.  Nesse caso, o iFood desempenha apenas o papel de vitrine para o estabelecimento. 

Como incluir a conta da Cora no iFood?

Para cadastrar a conta da Cora no iFood é muito simples! Basta seguir esse passo a passo:

  • Acessar Portal do Parceiro iFood
  • Clicar no menu “Financeiro”
  • Escolher a opção “Conta jurídica”
  • Colocar os dados da conta Cora
  • O CNPJ do estabelecimento deve ser o mesmo vinculado na conta Cora

Quais são as taxas cobradas para vender no iFood?

Quem opta pelo Plano Básico repassa para a plataforma uma comissão de 12% sobre cada pedido mais um percentual de 3,5% dos pagamentos feitos pelo aplicativo. Além disso, o estabelecimento também deverá pagar uma mensalidade de R$100,00 se o seu faturamento na plataforma for maior que R$1.800,00 por mês. 

Já no Plano Entregador, o delivery fica por conta do iFood. Dessa forma, a comissão sobre cada pedido sobe para 23%, mas o percentual de 3,5% dos pagamentos feitos no aplicativo se mantém. Nesse plano, a mensalidade é R$130,00 se as vendas do restaurante ultrapassarem R$1.800,00 no mês [Dados atualizados em 24 de março de 2021].

Por enquanto, este plano está disponível apenas para algumas regiões do Brasil. Por isso, é recomendado verificar se a operação já chegou na localização do estabelecimento antes da contratação.

Os dois planos são livres de fidelidade, ou seja, é possível cancelar a parceria a qualquer momento. Vale reforçar que as comissões dos dois planos só são cobradas se o estabelecimento vender. Em outras palavras, a plataforma não cobra nenhuma taxa de manutenção para a parceria. Atualmente, o iFood está presente em mais de 500 cidades do Brasil. 

5 dicas para vender mais usando o iFood

Agora que você conheceu os detalhes sobre como vender no iFood, precisamos entrar no campo mais estratégico. Primeiramente, é fundamental que você conheça os custos da sua operação. Conhecer bem esses valores fará toda a diferença para você precificar seu produto e adotar o sistema de delivery por aplicativo, já que as taxas cobradas pelo iFood podem ser repassadas para o consumidor.

Além disso, se por um lado a proposta oferece praticidade para quem compra, por outro, ela também aumenta a concorrência para quem vende. Portanto, é fundamental olhar com atenção alguns aspectos para garantir que o seu restaurante estará em destaque dentro do aplicativo:

1.Capriche nas fotos

As fotos são um elemento essencial para o seu restaurante virtual, pois elas precisam despertar o desejo dos clientes. Mas vale lembrar que elas não podem vender uma imagem enganosa do seu produto. 

Uma dica para produzir imagens mais profissionais é preparar um  cenário que tenha relação com o prato e ficar atento à iluminação. Também vale testar diferentes ângulos do produto

2. Elabore um cardápio focado

As imagens serão um complemento para a descrição dos produtos, que deve ser clara, detalhada e criativa. Inclua informações sobre o tamanho da porção e ingredientes  – essa parte é extremamente importante para alérgicos e intolerantes. Como estamos falando de venda online, atrativos como aparência da comida e cheiro não são recursos acessíveis. Palavras e imagens precisam desempenhar esse papel.

Seu cardápio também precisa ser bastante direcionado e objetivo. Dessa forma, a seleção de alguns produtos específicos auxilia os clientes no momento da decisão e também deixa a sua operação mais eficiente. Você não precisa replicar o menu completo do negócio no aplicativo. Escolha itens focais, que tenham bastante aceitação e saída para o seu público.

Conforme a experiência for trazendo resultados, você sempre poderá adicionar ou remover produtos do cardápio. Além disso, pense que o tempo de entrega é um fator decisivo para os consumidores. Dessa forma, o seu processo de produção precisa dar conta da demanda de pedidos e cumprir a estimativa de envio.

Outro aspecto importante da criação do cardápio é explorar as categorias combos e promoções. É possível colocar alguns itens em destaque dentro do menu, sugerindo itens pré-selecionados para os clientes. As sugestões são ótimos gatilhos de desejo para os clientes. 

3. Dê atenção para a entrega

Como falamos no tópico anterior, a entrega é uma etapa muito importante para o seu processo de vendas. Não basta apenas oferecer um produto muito bom, em uma embalagem prática, é preciso entregar o produto rapidamente e a um custo baixo. Dois critérios de seleção muito utilizados pelos usuários do iFood são tempo e valor da entrega, sendo muito comum para os clientes filtrar os restaurantes por “entrega grátis”.

Nesse sentido, o prazo de entrega prometido ao cliente precisa ser curto, mas executável. Já para o valor do frete, você pode avaliar a possibilidade de incluir o custo do delivery no preço do produto, assim seu restaurante vai atrair mais clientes. 

4. Aproveite as promoções e cupons de desconto

O iFood possui uma aba exclusiva para promoções e essa é uma das maneiras de colocar o seu restaurante em destaque, já que muitos usuários iniciam a navegação no app por essa aba. Além disso, é possível também vincular o estabelecimento aos cupons de desconto promovidos pelo aplicativo. Lembrando que antes de publicar a oferta é preciso calcular os custos da operação e verificar a viabilidade da ação.

5. Fique de olho nas avaliações

Por fim, mas não menos importante, as avaliações merecem atenção exclusiva, já que todos os itens falados anteriormente poderão afetar a nota do seu estabelecimento. Até que o seu restaurante receba 10 avaliações, o iFood coloca apenas a etiqueta “Novo!” no lugar da classificação. Ainda que você esteja se adequando ao mecanismo de entrega do aplicativo, é importante garantir a maior satisfação possível dos clientes. 

Vale dizer que tudo conta para essa satisfação: embalagem, atendimento, cortesias, qualidade do produto, prazo de entrega, e etc. Portanto, seja profissional, capriche na cozinha e explore todas as ferramentas do aplicativo para garantir uma excelente apresentação do seu negócio.  

 

Agora que você já sabe como vender no iFood, não deixe de conferir também o nosso guia de ferramentas Google para empresas.

 

 

Conta PJ Cora

 

Por Giovanna Cornelio

Cadastre-se na newsletter da Cora e receba conteúdos exclusivos para quem empreende

Ao assinar a newsletter, declaro que li e concordo com a Política de Privacidade da Cora.

Título

Descrição

Recebemos seus dados!

Enviamos um email de confirmação para você. Não esquece de checar a sua caixa de entrada depois! 

Se você quiser, você pode continuar a sua leitura agora.