Crédito rotativo: o que é, como calcular e tudo que você precisa saber

30 de Dezembro de 2021
credito rotativo

O crédito rotativo é uma modalidade que faz parte do cartão de crédito e ocorre quando você não paga a fatura do cartão ou paga apenas uma parte dele. Neste texto você vai entender um pouco melhor sobre ele e saber por que é tão importante ter planejamento financeiro para fazer bom uso do crédito.

Acompanhe o conteúdo e entenda. Boa leitura!

Afinal, o que é o crédito rotativo?

Bom, para começar a ficar mais claro sobre o crédito rotativo, é importante você entender bem a definição. Vamos lá?

Essa modalidade trata-se de um valor oferecido aos clientes de cartão de crédito que não conseguem pagar o valor total da fatura do cartão. Funciona basicamente como um empréstimo, porém exclusivamente para o pagamento da fatura.

Para ilustrar, basta você imaginar a seguinte situação: quando não se paga a fatura integral do cartão e acerta só o valor mínimo, o saldo devedor é deixado para o mês seguinte. Ele se torna, então, um empréstimo pessoal de curto prazo, chamado de crédito rotativo.

A partir daí, começam a ser cobrados os encargos de financiamento apresentados em sua fatura, seja taxas de juros, multas, IOF ou outros. Além disso, existem dois tipos de crédito rotativo, o rotativo regular e o não-regular, que você vai conhecer mais abaixo.

Crédito rotativo regular

O crédito rotativo regular ocorre quando você paga entre a quantia mínima e a quantia intermediária da fatura. Normalmente, esses valores são informados pela empresa credora na própria fatura.

Assim, o que ficou para trás, ou seja, o restante da fatura, é adicionado na conta do mês seguinte, corrigido com juros. E é aqui que entra o perigo. Esses são considerados os juros mais altos entre todas as modalidades de crédito no Brasil, a média é 13% por mês.

Crédito rotativo não-regular

Enquanto o crédito rotativo regular é quando você faz o pagamento mínimo da fatura, ou um valor acima disso, o não-regular é quando você não realiza o pagamento integral até a data de vencimento.

Neste caso, o problema é ainda maior, pois a taxa de juro passa a ser ainda mais agressiva e pode chegar a 375% ao ano.

Então, preste atenção, pois, com essas taxas, a dívida pode triplicar em até um ano e ser ainda mais difícil de quitar.

 

quiz Potencial financeiro da sua empresa
QUIZ: Descubra o potencial financeiro da sua empresa

Você tem cuidados das finanças do seu negócio como deveria? Faça o quiz e descubra!

 

O que é preciso saber sobre o crédito rotativo

Quando uma empresa empresta dinheiro, ela assume o risco de não ter o valor devolvido dentro do prazo proposto. Sendo assim, para compensar essa possibilidade, são cobrados juros. Esses juros são elevados devido à alta taxa de inadimplência. Ou seja, como muita gente costuma não pagar, a instituição financeira entende que o risco é ainda maior.

Para tentar amenizar os riscos, quando solicita o cartão de crédito, você passa por uma análise de crédito, que contém os critérios que a própria empresa considerar necessário e normalmente o score de crédito está entre estes critérios.

Até aqui, você já deve ter percebido que este tipo de crédito é apenas para situações de emergências e a curto prazo, não é mesmo?

Não é saudável para sua vida financeira sempre recorrer ao crédito rotativo. Afinal, pagar o mínimo da sua fatura mensal repassa o valor não pago para o mês seguinte, mas sempre com acréscimos de juros. Ou seja, no final das contas, você não fica com a fatura atrasada, mas o seu saldo devedor aumenta.

Como funciona?

Entender como funciona o crédito rotativo é claro: se você paga o valor mínimo ou um valor que não seja o total da sua fatura, você paga uma taxa de juro alta. Se você não pagar nada da fatura, a taxa de juro cobrada é muito alta. Entendeu?

Imagine que sua fatura do mês de março foi no valor de R$ 1.000. O banco indicou na própria fatura que o valor de pagamento mínimo é de R$ 200. Porém, você não tinha dinheiro o suficiente para pagar tudo, mas tinha R$ 500, mais do que o valor mínimo apresentado pelo banco, mas menos do que o total cobrado naquele mês. Então, o restante  de R$ 500 entrou no crédito rotativo.

No mês seguinte, serão cobrados os R$ 500 que não foram pagos da fatura anterior, mais os juros do crédito rotativo. Além disso, constará no valor total da fatura também todo o valor que você utilizou para a fatura do mês de abril.

Como é calculado?

Para calcular a taxa de juros do cartão rotativo, basta seguir os passos abaixo. Primeiro, você precisa conhecer qual o valor mínimo permitido pela operadora, assim como a taxa de juros cobrada pelo banco. Isso tudo está na fatura, contrato do cartão ou diretamente com a operadora.

  • Subtraia o valor total do valor mínimo pago. O resultado obtido será a quantia que não foi paga e que voltará como rotativo nas próximas faturas;
  • Com o valor do rotativo levantado, é necessário multiplicá-lo pela porcentagem referente aos juros. Neste caso, terá apenas o valor a ser pago em juros;
    Sobre este valor, é calculado o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) mensal e também o diário. Esses percentuais são de 0,38% e 0,0082%, respectivamente;
  • Em seguida, some os valores;
  • O resultado será a quantia total que será paga no próximo mês.

Quando posso utilizar?

Desde abril de 2017, o Banco Central estabeleceu novas regras para o crédito rotativo do cartão. Isso foi para reduzir os juros que os consumidores pagam nessa linha de crédito e evitar o superendividamento.

Assim, o rotativo passou a ter limite de apenas 30 dias. Depois disso, o valor deve ser pago integralmente. Então, você só pode utilizar uma vez até quitar integralmente a fatura, não sendo possível estender o rotativo para a fatura seguinte.

Para ter acesso, é bem simples. O crédito é liberado de forma automática na sua conta e, conforme você usa esse dinheiro, o limite vai acabando. Assim que você quitar o débito, passa a ter a quantia disponível de novo na conta.

Quais os riscos?

Bom, até aqui, você já deve ter imaginado que os riscos de entrar no crédito rotativo é bem grande, não é?

Apesar de ser uma modalidade de fácil acesso, ela pode prejudicar muito seu planejamento financeiro. Isso devido aos juros de crédito rotativo que são absurdos ao se comparar a outras opções. Então, o ideal é realmente usar o recurso só em situações inesperadas para evitar débitos maiores do que gostaria.

Caso não tenha saída e precise pagar só o valor mínimo, procure quitar tudo logo na parcela seguinte. Isso porque, dependendo do nível do endividamento, você pode ser negativado, seu score abaixar e você deixar de ter acesso a créditos.

Coisas para ficar de olho

Para evitar grandes problemas com seu cartão de crédito, acompanhe de perto sua vida financeira seguindo essas dicas:

  • Fique sempre de olho na fatura;
  • Conheça as taxas de juros cobradas no rotativo;
  • Cuidado com as compras parceladas. Anote os seus gastos para não se esquecer e gastar mais do que deveria;
  • Verifique se as parcelas cabem no seu orçamento;
  • Procure pagar o valor integral da fatura para evitar os juros.

 

Chegou o cartão de crédito Cora

100% gratuito, sem burocracias e feito sob medida para o seu negócio

Como fugir do crédito rotativo?

Quando você entende bem o crédito rotativo, fica fácil entender que há muitas outras modalidades de crédito mais atrativas para te ajudar a fugir do monstro dos juros do cartão de crédito.

Então, caso você esteja com dificuldades em quitar a fatura integralmente este mês, você vai conhecer, abaixo, algumas opções mais vantajosas. Mas antes disso, não esqueça que qualquer tipo de empréstimo é coisa séria e pode comprometer sua saúde financeira. Ter controle dos gastos é sempre a melhor opção.

Empréstimo pessoal

Antes de aceitar o crédito rotativo, veja se há possibilidade de conseguir um empréstimo pessoal. As taxas aqui nem sempre são atrativas, mas com certeza são mais baixas que as do rotativo.

Converse com seu banco para entender se há um valor de crédito liberado para você. Caso tenha, avalie as condições e as taxas, se forem menores, aceite. Mas atenção, para entender todas as cobranças, analise o CET desse empréstimo, que é o Custo Efetivo Total.

Empréstimo com garantias

Essa é uma modalidade que tem ganhado espaço nos últimos tempos devido à taxa de juros ser uma das mais baixas do mercado. Nessa tomada de crédito, você precisa deixar algum bem como garantia para, como, por exemplo:

  • veículo
  • imóvel

Ao fazer isso, o banco passa a ter mais confiança em você, tendo em vista que, caso você não pague as parcelas do empréstimo em dia, pode perder o bem dado como garantia. 

Microcréditos

Essa modalidade é ideal para quem tem “nome sujo” ou score baixo. Normalmente, o valor máximo emprestado é até R$3.500 e a taxa de juro também é alta.

Algumas das opções desse tipo de crédito são: 

  • luz: as parcelas são cobradas na fatura
  • celular: caso você não pague a parcela do empréstimo, seu celular é bloqueado.

Pronto, agora você já sabe o que é, como funciona, como é calculado e quais opções podem ser melhores que do crédito rotativo. E para continuar aprendendo mais sobre sua vida financeira e a vida financeira da sua empresa, continue acompanhando o Cora blog.

Por Equipe Cora

Junte-se a mais de 100.000 negócios e receba conteúdos para alavancar os resultados da sua empresa direto no seu email!

A Conta PJ gratuita e sem burocracia que o seu negócio merece.

Cadastre a sua empresa em menos de 10 minutos e abra uma conta PJ totalmente sem custos. Junte-se a mais de 100.000 empreendedores, economize tempo e dinheiro e foque no que importa: no seu negócio.

5/5

“Excelente app, bem simples e entrega o que promete. Cobrança gratuita de boleto que reduziu bastante os custos na empresa” Guilherme Silva

Recebemos seus dados!

Enviamos um email de confirmação para você. Não esquece de checar a sua caixa de entrada depois! 

Se você quiser, você pode continuar a sua leitura agora.

Chegou o cartão de crédito PJ da Cora, exatamente do jeito que a gente gosta: com zero tarifas, sem burocracia e feito sob medida para o seu negócio

Título

Descrição